18/07/2011

Eu sou, exatamente, como quero ser!

Como eu fiz isso na minha vida...
Perdi a conta de quantos sopros nesta florzinha.
E em cada vento, um pedaço do sonho.
Eu guardei no coração imagens refletidas.
Essa traduz bem o que sou, o que fui e o que quero para minha vida.
Não quero uma vida vazia, incompleta, seca.
Superficial.
Nem quero uma voz sem eco.
E tão pouco um casulo de aparências e um mundo fútil de ilusões.
Deixo de querer uma vida descartável e ter uma voz alinhada dentro de um jogo vazio.
N ão, não quero fazer da minha vida uma estrada torta e nem tão pouco desperdiçar vida.
Quero tirar meus sapatos, lustrar, sim, a minha vida na melodia e no ritmo de uma canção menina.
Não procuro fórmulas.
Gosto de andar descalça e com sonhos nas mãos.
Algumas vezes alinho, outras apenas alimento a vida.
Eu sou, exatamente, como quero ser.

Nenhum comentário: