14/03/2010

Minha Mãe!







Senhor,
Quero agradecer por mais um ano de vida da minha mãe.
Ontem comemoramos seus 70 anos de idade na terra.
Venho agradecer esse momento da plenitude na alma.
Eu e minha mãe nos amamos, temos nossas dificuldades, temos os mesmos nomes.
Somos mesmo um misto de mares e estrelas, temos personalidades parecidas.
Desde que meu pai morreu, quando tinha 9 anos, ela criou sozinha 4 filhos, três meninas e 1 menino. Abraçou tudo pela família, abraça ainda, é sempre quem resolve tudo de todos.
Acho que sempre tem alguém nos familiares, como um todo, que tem essa fibra.
Sim, a minha mãe abriu mão da juventude de senhora mulher, pelos filhos, amou meu pai, foi paciente e foi muito feliz no casamento.
Foi uma casa construída em terreno firme.
Penso que tudo isso é tão valioso, esses detalhes da vida.
A Família é o bem mais precioso que temos, são aquelas pessoas que mesmo passando o tempo, a noite e sol, estão sempre do nosso lado, acompanhando nossas vidas. Nossos verdadeiros amigos!
Para minha mãe, tão forte, meu amor, minha gratidão pela abdicação da vida, meu perdão pelos erros e obrigada pelo amor.
Minha mãe não é de falar eu te amo, mas expressa o amor com toda a sua vida. Os atos por vezes são a expressão do amor. Grata, Mãe!
Com amor na alma tão forte e feliz por esses momentos que são valiosos demais!
Pedindo ao Senhor, muita paz, saúde para minha mãe e família, bem como nossa união!
Maristella para Maristella!
Esqueci, complemento agora: eu te amo, Mãe!

6 comentários:

Ailime disse...

Mari,
Que linda homenagem presta a sua maravilhosa mãe por ocasião do seu Anivesário!
Tem uma mãe exemplar e que tão bem tem sabido conduzir os seus filhos.
Os meus Parabéns para todos vós e que Deus vos conceda muita saúde, alegria e Paz para desfrutarem da companhia da vossa mãe por muitos e felizes anos.
Muitos beijinhos.
Deus te abençoe.

Maria Lúcia disse...

Mari,
Parabéns à sua mãe. Deixo-lhe o poema de Carlos Drumond de Andrade, "Para sempre":

"Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.

Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho."

Yelva disse...

Coisa linda! perdoa °coisa°

p e r m i t a

já disse... mês de datas bonitas

Felicidades Mari!

segredos disse...

Querida Amiga,
As minhas primeiras palavras vão para sua mãe e, as que aqui deixo são de desejo de uma vida de muitos amores e anos para que continue a sorrir para todos a quem se dedicou e dedica. Parabéns

Agora...
Talvez não lhe diga nada porque já não está activo mas, agradeço sua visita e comentário em meu blogue sendo que e, embora o tempo que passou, por aqui me encontro na retribuição e partilha de palavras.
Obrigado

Daniel disse...

Linda a postagem, e que bela homenagem e tão merecida. Bela história. De fibra.
Parabéns e que sempre esteja contigo.
Beijos

O Profeta disse...

Imagino o canto maternal das baleias
Como doce e sentida balada
Imagino um beijo na procura
De uma fugidia criatura amada

Um domador de ventos e tempestades
Uma viagem de aventuras repleta
Serei eu um herói de comédia de enganos?
Ou apenas um pobre e louco poeta

Boa semana

Doce beijo