Venha para dentro do gratidão!

Google+ Followers

29/06/16

Amar!

"Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais este e aquele, o outro e toda a gente…
Amar! Amar! E não amar ninguém!
Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!
Há uma primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!
E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar..."(Florbela Espanca).

.........

Eu já amei tanto, que até cansei.
Mas sempre quero tentar, novamente.
Existe um limite neste amor, quando atenta ao nosso amor próprio.
Confesso que o meu amor por mim é muito pequeno. Há que ser trabalhado em bons solos.
Mas vem de uma infância e adolescência não gratas.
Tudo bem.
O amor é livre, soberano em sua majestade de virtude.
Nada pode maculá-lo, mas de fato, quando se atravessa um canal, onde a tempestade existe, é melhor parar e o brilho sobra.
Eu conheço o outro lado.
Prefiro um ninho seguro, sozinha.
E me amar mais, solenemente.
Esse é o melhor amor: próprio e dono da gente.

23/06/16

A Rosa amiga!

Deus é extremamente inteligente.
Essa força sobrenatural, que nos motiva a seguir, sabe bem o que faz.
De fato, existe tempo para tudo, na terra.
Tempo de aprendizado, de dor, de felicidade, tempo de rezar.
Tempo de pedir.
Eu entendo que, realmente, perdi-me em lutas.
Após o fim, volto, mais forte, ao blogue.
Tenho consciência de que preciso arrumar e melhorar o que trago.
E ser uma mulher melhor no mundo.
É um mundo do nada, do tudo, mas é o mundo que vivo.
Obrigada, Senhor!

Maristella!

Com gratidão, preciso de uma rosa amiga.




22/06/16

Oração.




Pedidos de liberdade gritam em almas.
Sedentos de justiça proclamam um milagre.
Que seja o que permite a vida florir.
Aqui, nesta morada, pedimos:

A Deus Pai. Deus Filho. Deus Espírito Santo.
Clamamos a força, a paz, a misericórdia, as virtudes.
Pedimos perdão que salva, que liberta.
E com ousadia, queremos, sim, a libertação espiritual de toda alma, espírito, quebra de jugos, de pragas, bruxarias, feitiços escondidos, nos lagos, nas terras, nos montes, nos bichos, comidas, nas colinas. Que sejam quebrados padrões de vidas, ruins e que, porventura, herdamos.
Queremos a liberdade ousada para sonhos vivos.
Pedimos a proteção de todos os Santos, em especial, peço a São Jorge, São Bento, Benedito, Padre Pio, Consolata, Santa Maria Egípcia, Santo Expedito, Santo Antão. Padres Nelson, Guido, Nhá Chica, Anastácia. 
Pedimos a todos os Anjos do bem, guardiões do universo, nossos mestres, em suas fortalezas de espíritos.
Pedimos aos nossos antepassados, guardiões das árvores da família.
Clamamos a paz, aquela viva e fecunda, sem correntes, sem lodo, sem prisão.
Seja em nome de todos os Santos, de Nossa Senhora, das chagas, do manto de Maria, das lagrimas de sangue, das 9 estações, em nome do calvário, da força do Rosário, do terço de madeira, que todo mal seja, agora,neste momento, desfeito, porque somos vossos filhos. Somos filhos de Deus, que viva e reina e tão somente como filhos podemos clamar, pedir, mas que seja feita a Vossa vontade neste mundo passageiro. Amém.








20/06/16

Em Brasília!

O que me faz, velozmente, pensar e entrar em sintonia com Deus é uma música de rock.
Acho que são fontes de forte pensamento e sentimento e você vibra, de algum modo.
No meu caso, adoro a música do cantor Dave Mattheus Band, Crush.
...
Enfim, vou lá.
Sim, vou atrás da vida.
Atrás do meu amor.
Daquela história tentada.
No embalo da maior batida, na intensidade que é amar o amor.
E, por isso, já sou grata.
Estas dores nos aproximam de Deus!
E me vejo, menina, lembrando de Brasília, das histórias, dos desenhos que amava, do céu azulado e o pensamento, firme, entendendo a forma da nuvem.
Já pensava muito quando menina.
Pensamentos fortes, livres, com sonhos.
Assim, como tanto amava e entendia Dom Quixote e suas dores, meu pensamento ficava.
Por diversas vezes, eu me encantava com tantos sonhos ou com tanta sensibilidade que o desenho me passava. No fundo, não era uma ilusão, ele era tão apenas, um idealista na vida.
Em Brasília deixei muito de mim.
Meu cantinho sagrado.
Meu tempo feliz.

Beijinhos.

Mari.


Peço perdão.

Eu queria fazer a oração mais perfeita, mas sei que é impossível.
Porque é,  justamente, a propriedade de Vossa grandeza de pai.
Peço perdão. Eu não sou dona da melhor história.
Sei que o impossível, dada vez, visitou-me.  Deveria, tão certamente, lembrar-me, sempre.
Mas talvez fosse um martírio e o Senhor, lindamente, me liberta.
Diante desta voz que troveja a minha alma, procuro a melhor oração, ainda. 
Eu não deveria questionar minhas cantigas, já que aprendi alguns dos códigos, que eram indecifráveis.
E nem deveria nesta minha escuridão, duvidar do nada.
Senhor Deus, peço clemência, piedade, redenção, a cura e a liberdade.
Aqui estou.
Com pecados nas mãos, peço a liberdade.



Ilustrador: Renato Alarcão.

Amém.

Deus do universo bendito, celestial.