16/01/2018

Estou começando.

Sim, no início era um verbo que se fez carne.
E neste louvor sigo com coração tranquilo.
E em honra às almas benditas, prometi tanto.
Aqui estou, fora do meu comum, subindo um ponto, uma montanha na minha evolução.
Estou colhendo os frutos e prometo ser uma mulher melhor.
Tudo posso naquele que me fortalece não é uma história. É fidelidade e vínculo de alma conduzida.
Já não canto hinos tristes e minha força fará morada.
Tenho uma sorte bendita e triunfante.
Ontem vi Dona Rosa colhendo flores e no dia 11 vi meu anjo no sonho.
Esse mundo, aqui, é sobrenatural. Não é para nem tentar entender, humanamente.


Beijos, Mari.