05/07/2014

Lembrei-me do portão antigo!

Lembrei do portão antigo.
Na porta, sempre, esperando, as minhas tias.
Das fotos e antiguidades.
Lembrei-me da viagem programada, da comida e a mesa, impecavelmente, posta.
Dos carinhos das tias avós e das prendas.
Passava minhas férias no interior.
Da praça antiga aos trilhos do trem.
Eram dias de festa, de brigadeiros em compotas, dos pães quentinhos, feitos à mão.
Das histórias e os lençóis mais cheirosos.
Lembrei-me do cinema antigo.
E das bonecas da minha prima.
Sonhos de todas nós, três irmãs!
O tempo, fração de si mesmo, tem seu ponto paralelo à circunferência, como dizia Padre Antônio Vieira.
Com a gratidão,
Jamais deixe de amar o amor!

Nenhum comentário: